Deivid Silva estreia bem no World Surf League Championship Tour na Austrália

A temporada 2019 do World Surf League Championship Tour começou bem para os brasileiros, com sete passando direto para a terceira fase do Quiksilver Pro Gold Coast na Austrália. O bicampeão mundial Gabriel Medina ganhou a maior nota – 8,17 – da quarta-feira e ninguém superou os 14,33 pontos de Yago Dora na dobradinha brasileira com Italo Ferreira sobre Kelly Slater. Michael Rodrigues também estreou com vitória e Filipe Toledo, Jessé Mendes e Deivid Silva, passaram em segundo lugar nas baterias que rolaram em Duranbah Beach e não no palco principal do evento em Snapper Rocks. Os outros cinco que ficaram em último, terão outra chance de avançar nos quatro confrontos da repescagem.

No Quiksilver Pro Gold Coast está sendo inaugurado um novo formato na primeira temporada com premiações iguais para homens e mulheres na divisão de elite da World Surf League. Na fase inicial, antes somente o vencedor passava direto para a terceira fase e agora são os dois primeiros colocados. A estreia do Brasil foi em dose dupla na terceira bateria contra o maior astro do esporte e os bem mais jovens Italo Ferreira e Yago Dora não deram qualquer chance à Kelly Slater, com seus 47 anos de idade.

Yago buscou as esquerdas de Duranbah Beach, que estavam formando boas rampas para ele usar os aéreos de frontside e fazer os recordes do dia até ali. No melhor, voou alto e fez a rotação completa no ar sem as mãos na prancha até retornar à onda. Os juízes lhe deram nota 7,83 para totalizar imbatíveis 14,33 pontos no primeiro dia. Foi também numa esquerda que Italo mandou um aéreo rodando na finalização da sua melhor onda, com a nota 6,50 garantindo a segunda vaga para a terceira fase e Kelly Slater ficou em último.

“Estou feliz em começar o meu ano com uma vitória assim como esta”, disse Yago Dora. “Tem sempre aquela expectativa e muito nervosismo sobre como vai ser nossa primeira bateria, então começar ganhando é muito bom, como se fosse um bônus de confiança. Foi legal competir aqui em Duranbah, onde existem boas esquerdas com algumas seções para mandar os aéreos de frontside. Foi realmente ótimo para mim e estou feliz pela vitória”.

Uma dobradinha verde-amarela marcou a estreia do Brasil no CT 2019, mas foi a única do dia. Tiveram outras três baterias com participação dupla, porém somente com um avançando direto para a terceira fase. Pelo segundo ano consecutivo, os brasileiros são maioria na elite dos top-34 com onze surfistas. O campeão mundial Adriano de Souza recupera-se de uma cirurgia e está sendo substituído por Caio Ibelli na Austrália. Já o atual campeão mundial Pro Junior, Mateus Herdy, foi convidado pela World Surf League, aumentando para doze surfistas o esquadrão brasileiro nesta primeira etapa.

O catarinense competiu junto com Gabriel Medina, que completou o aéreo mais incrível da quarta-feira para receber a maior nota do primeiro dia, 8,17. Com ela, fez o segundo maior placar da rodada inicial, 13,87 pontos contra os 14,33 do recordista Yago Dora. O australiano Ryan Callinan também surfou bem para atingir 13,57 contra apenas 7,23 de Mateus Herdy, que vai enfrentar o vice-campeão mundial Julian Wilson e o italiano Leonardo Fioravanti na abertura da repescagem. Se ficar em último de novo, termina em 33.o lugar no evento.

“É bom começar o ano vencendo a primeira bateria assim e com essa lycra (amarela) o sentimento é ainda mais especial”, disse Gabriel Medina. “Estou com algumas estrelas do Instituto Gabriel Medina aqui e é muito legal eles estarem aqui. É o terceiro ano do Instituto, termos 32 crianças lá vivendo uma rotina como a que fazemos como atletas profissionais. É legal dar a estas crianças, oportunidades de seguirem nossa carreira ou o que elas quiserem ser no seu futuro. É incrível o sentimento de retribuir um pouco do que o surfe já me deu e estou feliz por ter começado bem o ano, pois sei que todos estão na torcida por mim”.

Apesar de Duranbah Beach estar bem melhor na quarta-feira do que Snapper Rocks, as condições estavam difíceis para competir, com poucas ondas boas entrando nas séries de 3-4 pés para dividir entre três surfistas. Antes de Medina estrear, Filipe Toledo e Caio Ibelli competiram numa bateria muito fraca de ondas. O vencedor foi o francês Joan Duru por apenas 11,10 pontos, contra 9,53 de Filipe e 7,60 do Caio, que terá outra chance de passar para a terceira fase no segundo confronto da repescagem, contra o sul-africano Jordy Smith e o neozelandês Ricardo Christie, uma das novidades da temporada.

O norte-americano Kolohe Andino também impediu a dobradinha brasileira na penúltima bateria. Eles tiveram que ficar brigando pela segunda vaga para a terceira fase e ela ficou com o paulista Jessé Mendes, que superou o catarinense Willian Cardoso por 10,90 a 8,40 pontos. Um dos estreantes na “seleção brasileira” deste ano, Deivid Silva, também passou em segundo na sua bateria, mas o outro, Peterson Crisanto, ficou em último na dele.

O paranaense terá que encarar a repescagem, assim como o potiguar Jadson André, que está retornando a elite e começou a temporada 2019 decidindo os títulos das três etapas mais importantes do WSL Qualifying Series esse ano. Ganhou o Oi Hang Loose Pro Contest em Fernando de Noronha e foi vice-campeão em Newcastle e em Sydney, na Austrália. Ele lidera o ranking com 15.000 pontos dos 18.000 disputados. Jadson não achou boas ondas em Duranbah para mostrar o seu surfe, mas pode se recuperar na repescagem contra o havaiano Sebastian Zietz e outro brasileiro, Willian Cardoso.

Além dos recordistas Gabriel Medina e Yago Dora, a outra única vitória brasileira na primeira fase foi conquistada pelo cearense Michael Rodrigues numa das baterias mais disputadas da quarta-feira em Duranbah Beach. Ele fez o melhor aéreo e a nota 7,17 decidiu a pequena vantagem de 13,17 a 13,07 pontos sobre o australiano Wade Carmichael, com o neozelandês Ricardo Christie ficando em último com 12,67, que seriam suficientes para ganhar sete das doze baterias da primeira fase.

RED BULL AIRBORNE – Na quarta-feira também foi realizada a primeira rodada da competição especial de aéreos da World Surf League e o Red Bull Airborne já tem duas etapas confirmadas para este ano, essa na Gold Coast e na França, onde Yago Dora foi campeão da primeira edição em 2018. O catarinense competiu na Austrália, mas outro brasileiro foi o melhor do dia, Italo Ferreira, que largou na frente na corrida pelo título do Red Bull Airborne 2019.

No primeiro dia da temporada 2019 do World Surf League Championship Tour, apenas os homens competiram nas direitas e esquerdas de Duranbah Beach. As meninas ainda aguardam para estrear no Boost Mobile Pro, primeiro evento que terá as premiações das mulheres igual a dos homens. Ainda recuperando-se das cirurgias nos dois joelhos, a cearense Silvana Lima desfalcou o time feminino do Brasil, que só tem a gaúcha Tatiana Weston-Webb na Austrália.

A primeira chamada da quinta-feira será as 6h30 na Austrália, 17h30 da quarta-feira no fuso horário de Brasília, para as duas categorias. A comissão técnica também irá anunciar se a competição prossegue por mais um dia em Duranbah Beach ou em outra praia da Gold Coast. As baterias estão sendo transmitidas ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo Facebook Live e pelo Aplicativo da World Surf League.  

———————————————————–

João Carvalho – WSL South America Media Manager

(48) 999-882-986 – jcarvalho@worldsurfleague.com

———————————————————–

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 180 eventos globais que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Kai Lenny, Taylor Jensesn, Honolua Blomfield, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

PRIMEIRA FASE DO QUIKSILVER PRO – 1.o e 2.o=Terceira Fase e 3.o=Segunda Fase:

1.a: 1-Griffin Colapinto (EUA)=10.26, 2-Soli Bailey (AUS)=9.83, 3-Owen Wright (AUS)=8.23

2.a: 1-Jack Freestone (AUS)=10.67, 2-Ezekiel Lau (HAV)=10.47, 3-Jordy Smith (AFR)=5.03

3.a: 1-Yago Dora (BRA)=14.33, 2-Italo Ferreira (BRA)= 11.93, 3-Kelly Slater (EUA)=9.70

4.a: 1-Joan Duru (FRA)=11.10, 2-Filipe Toledo (BRA)=9.53, 3-Caio Ibelli (BRA)=7.60

5.a: 1-Seth Moniz (HAV)=11.17, 2-Reef Heazlewood (AUS)=9.50, Julian Wilson (AUS)=8.36

6.a: 1-Gabriel Medina (BRA)=13.84, 2-Ryan Callinan (AUS)=13.57, 3-Mateus Herdy (BRA)=5.37

7.a: 1-Adrian Buchan (AUS)=10.13, 2-Conner Coffin (EUA)=10.00, 3-Jadson André (BRA)=8.40

8.a: 1-Michel Bourez (TAH)=13.27, 2-Jeremy Flores (FRA)=8.90, 3-Leonardo Fioravanti (ITA)=7.57

9.a: 1-Michael Rodrigues (BRA)=13.17, 2-Wade Carmichael (AUS)=13.07, 3-Ricardo Christie (NZL)=12.67

10: 1-Kanoa Igarashi (EUA)=12.73, 2-Deivid Silva (BRA)=12.00, 3-Sebastian Zietz (HAV)=8.03

11: 1-Kolohe Andino (EUA)=11.00, 2-Jessé Mendes (BRA)=10.90, 3-Willian Cardoso (BRA)=8.40

12: 1-Mikey Wright (AUS)=12.10, 2-John John Florence (HAV)=10.93, 3-Peterson Crisanto (BRA)=8.36

SEGUNDA FASE – 1.o e 2.o=Terceira Fase e 3.o=33.o lugar com 265 pontos:

1.a: Julian Wilson (AUS), Leonardo Fioravanti (ITA), Mateus Herdy (BRA)

2.a: Jordy Smith (AFR), Ricardo Christie (NZL) Caio Ibelli (BRA),

3.a: Owen Wright (AUS), Peterson Crisanto (BRA), Kelly Slater (EUA)

4.a: Willian Cardoso (BRA), Sebastian Zietz (HAV), Jadson André (BRA)

PRIMEIRA FASE DO BOOST MOBILE PRO – 1.a e 2.a=Terceira Fase e 3.a=Segunda Fase:

1.a: Carissa Moore (HAV), Nikki Van Dijk (AUS), Keely Andrew (AUS)

2.a: Lakey Peterson (EUA), Coco Ho (HAV), Sage Erickson (EUA)

3.a: Stephanie Gilmore (AUS), Paige Hareb (NZL), Isabella Nichols (AUS)

4.a: Tatiana Weston-Webb (BRA), Malia Manuel (HAV), Brisa Hennessy (CRI)

5.a: Johanne Defay (FRA), Courtney Conlogue (EUA), Macy Callaghan (AUS)

6.a: Sally Fitzgibbons (AUS), Caroline Marks (EUA), Bronte Macaulay (AUS)

Por Joao Carvalho

0