Carrinho - (0) Item

Nenhum produto no carrinho.

Pena Store

Article image

Relatos de um pai surfista

atletas 409 Dias atrás

Você que sempre estava acustumado a pegar altas ondas, depois correr pros braços da sua gata, curtir com ela na praia, comer um açaí, almoçar e dar um belo cochilo, com certeza se assusta com a chegada do primeiro filho. Todo seu esquema vai para o alto e as prioridades passsam a ser deixar o nenêm bem alimentado e a mãe bem acomodada. Do contrário, você dificilmente terá chance de pegar suas ondas tranquilo.


É claro que quando eles crescem tudo facilita e ter os filhos com você na praia, surfando, é uma das melhores sensações do mundo para quem é apaixonado pelo esporte. Mas quando nascem e são novinhos, que precisam de diversos cuidados, como aproveitar aquelas horas clássicas do terral se o seu filho está chorando? Imagine morar na frente da praia e ver os amigos pegando altos tubos e não poder cair na água porque seu neném e sua mulher precisam de uma força.


A gente sabe que as mães sempre seguram mais a onda, mas até elas se esgotam. Cada uma tem seu limite. Você até pode contratar uma babá mas, mesmo assim, não dá pra fugir da “responsa”.


Então, como manter seu ritmo de surf, suas caídas matinais, aproveitar os bons dias como nos velhos tempos mesmo tendo um nenêm ou filho pequeno pra cuidar?


Depois de acompanhar alguns amigos tendo filhos e passar pela mesma experiência com minha pequena Julieta, que agora completa 6 meses, aprendi algumas dicas que podem ajudar a comunidade dos Pais Surfistas de Primeira Viagem (PSPV).


- Seja flexível. Um surf programado para uma manhã cedo pode facilmente cair pra tarde ou fim de tarde e ainda assim não acontecer. Tente não se irritar e use isso pra ganhar argumento em outro dia bom: “Amor, ontem fiquei com ele(a) o dia todo. Hoje, estou indo surfar com os amigos...”


- Surf na madrugada. Acorde 4:15 e caia as 4:45. Sol nascendo, chances de estar sem vento é maior, menos crowd e ajuda a manter o corpo em dia. Saia do mar 6:00 e às 6:30, quando seu filho acordar, você já estará em casa dando um bom dia pra todo mundo e amarradão com suas ondas.


- Organização. Deixe esquematizado o almoço da sua mulher ou o rango do nenêm. Sua gata não vai te deixar em paz se você deixar ela com fome enquanto passa 5 horas na água pegando altos tubos. Se ela e o nenêm tiverem bem alimentados, suas chances de surfar sossegado aumentam em 80%.


- Equipamentos. Na mala do seu carro tem que ter sempre um carrinho, guarda sol e, se puder, um bebê conforto ou berço portátil. Com isso você ajuda a organizar seu filho por aí, e se rolar, ainda pega umas ondas.


- Premeditar. Essa é a palavra de ordem para os PSPV. Swell grande está vindo, daqueles perfeitos e sem vento? Então, faça passeios com sua mulher e seu filho durante a semana. Curta bem o nenêm. Se ele for maiorzinho, leve para um parque, tomar sorvete, leve no zoológico. Acredite, sua mulher e ele vão ficar amarradões e uns dias antes você vai avisando:


“Olha, o Papai vai surfar esse swell aqui. Vai sair cedo por 2 dias de carro com os amiguinhos e depois vai mostrar fotos bem legais pra vocês...”


...e os argumentos podem variar de acordo com cada família. Funciona, metódo testado e aprovado.


- Todo mundo que ir junto pra praia? Sem problemas! Basta se preparar. Além de todos os acessórios citados anteriormente, leve COMIDA ou DINHEIRO. Um picolé, um amedoim, Açaí ou frutas na bagagem vão deixa-los mais felizes. Prefira o fim de tarde e picos com menos crowd. O sol é mais fraco e você pode surfar enquanto vê sua família.


- É fundamental um chuveiro perto, ou encha um garrafão de 5 litros de água para banho e deixe na mala. Ninguém merece ficar salgado e crianças tendem a ficar mais irritados com sal no rosto. Todo mundo limpo e trocado, é hora de voltar pra casa, mas prepare o bolso e garanta uma pizza pra sua equipe chegar em casa bem e dormir feliz. Assim, você ainda ganha um tempinho pra assistir as finais do Eddye Aikau em Waimea pelo computador enquanto toma uma gelada.


No mais não existe fórmula mágica. Cada um vai achar a sua medida. O importante é que se você ama o surf, mantenha ele vivo na sua vida. É um esporte que ensina muito pra família, além de promover o bem estar físico e mental. Você vai precisar. rsrsrs


Esse artigo surgiu depois de um dia de praia com meu parceiro de equipe Ygon Maia, que também tem uma filhinha um pouco maior e está passando pela mesma fase. Porém, isso não nos impede de treinar e manter nosso ritmo na água. É claro que o começo é bem complicado, mas com o tempo as coisas vão se encaixando e o Papai surfista continua pegando suas ondas.

Agradecemos as mamães que seguram a onda, compreendem e possibilitam esse nosso saudável vício. No caso da minha, ainda tirou essas fotos.

Aceitamos também quando elas não compreendem, afinal, tem dias que o mar não está pra peixe.

Aproveitamos então as boas ondas da praia de Busca Vida e fomos recebido pelo baiano Roberto Viera. Saímos de casa as 9hs da manhã mas só caímos no mar às 16:30. Quase não acreditamos quando chegamos no pico. Se você acha engraçado, espere só até nascer seu primeiro filho...


Aloha,

Gustavo Foerster



Comente

Leia também

Lucas Silveira fica em terceiro na Austrália

leia mais

03.03.2016

Ver mais

Lucas Silveira fica em terceiro na Austrália

Lucas Silveira, atual Campeão Mundial Pro Junior, parou na semifinal e ficou com a terceira colocação no Boomerang Beach QS100 realizado na ...
Cauã Costa faz pódio em Maresias

leia mais

08.03.2016

Ver mais

Cauã Costa faz pódio em Maresias

Cauã Costa

Continue conectado